Riscos


Calcule o risco de fratura do idoso

 


Através de um simples questionário, podemos calcular se um idoso ou uma idosa tem uma maior probabilidade de sofrer quedas e, o que é pior, ter risco de fraturas sérias, que fatalmente poderão levar a uma dependência maior. Responda o questionário:
1- Idade do(a) idoso(a):
a)      menos de 65 anos
b)      65 a 75 anos
c)      mais de 75 anos
2- Cor da pele do(a) idoso(a):
a)      negra
b)      parda
c)      branca
3- Capacidade do(a) idoso(a) de se levantar de uma cadeira, sem usar as mãos como apoio:
a)      sim
b)      às vezes.
c)      não
4- Portador(a) de Alzheimer ou outra demência:
a)      não
b)      Sim, está na fase mais inicial para intermediária
c)      Sim, está na fase mais avançada.
5- Sexo do(a) idoso (a):
a)      masculino
b)      feminino
  • Para cada letra A marcada, some 1 ponto.
  • Para cada letra B marcada, some 2 pontos.
  • Para cada Letra C marcada, some 3 pontos.
  • Somente na última questão, sexo masculino (letra A), some 1 ponto. E sexo feminino, some 3 pontos.
Após aplicar o questionário de risco de fratura em seu idoso, em sua idosa, some todas as respostas e veja o resultado abaixo:
  • menos de 6 pontos: o risco de fraturas é baixo
  • entre 7 e 10 pontos: há risco baixo a moderado de fraturas
  • acima de 11 pontos: Risco elevado de fraturas
Interpretando melhor os resultados:
Todos podem notar que a o sexo masculino, a cor negra, a idade abaixo de 65-70 anos, a capacidade de levantar de uma cadeira de maneira mais rápida e sem a ajuda das mãos são sinais de BAIXA PROBABILIDADE do idoso cair e de não sofrer fraturas sérias (bacia, braços, fêmur).
Agora, está bem claro que mulher idosa, com mais de 75 anos, de cor branca (peso mais baixo) e que tenha dificuldade de se levantar de uma cadeira sem o apoio das mãos ou das pessoas tem ALTA PROBABILIDADE de quedas com fraturas sérias (principalmente, fêmur e quadril). Este perfil de mulheres apresentam também maior prevalência de osteoporose, conseqüentemente, maior risco de fraturas.
Deixo por último as considerações sobre a pessoa idosa ser portadora de Alzheimer ou outro tipo de demência. Estatisticamente, os estudiosos vêm percebendo uma relação clara e perigosa das demências, principalmente nas fases mais avançadas, com o risco maior de quedas e de fraturas sérias.
A prevenção passa pela correta avaliação médica (no caso, geriatria), juntamente com a fisioterapia e a terapia ocupacional. Isso quer dizer, não somente uma pesquisa sobre as condições de saúde da pessoa idosa, mas do tratamento e da reabilitação pelo risco de quedas e da busca das condições de segurança domiciliar, na casa em que o idoso reside. Sempre lembrar que o ambiente onde o idoso mais cai é na sua própria casa; o local da casa mais perigoso é o banheiro; o horário de maior ocorrência de quedas é o da madrugada, quando acorda para urinar.
Portanto, faça esse simples e funcional questionário com seu idoso, sua idosa e perceba se há risco maior de quedas e de fraturas. Em caso positivo, procure um geriatra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário